Buscar Depoimentos - Tai Chi / Meditação / Chi Kung

3 depoimentos sobre minha experiência da pratica de Tai Chi e Meditação Taoísta desde ano 2006...

Sexta, 31 Agosto 2012 00:00

Informações adicionais

  • Nome: Kinjiro Sekiguchi
  • E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 tue-shou


ctaratas


Eu pratico treino de Tai Chi Chuan desde 2006, e ao longo do tempo tenho sentido vários benefícios que essa prática tem proporcionado à  minha saúde.

Gostaria de compartilhar um fato que ocorreu na semana passada.

Eu e a minha esposa temos feito exames oftalmológicos de rotina, anualmente, numa boa clínica oftalmológica, normalmente com o oftalmologista de nossa preferência.    Na semana passada, entretanto, fomos atendidos por um outro oftalmologista, pois o nosso estava de férias.

Ao examinar a minha ficha, após analisar o meu histórico, entre outras coisas ele observou que eu já tinha catarata (opacidade do cristalino, que faz a gente enxergar as coisas meio embaçada) há algum tempo, e que estava piorando ao longo do tempo, e que nessa progressão provavelmente eu teria que fazer cirurgia de catarata em breve.   Disse que a acuidade visual de uma pessoa sem catarata tem índice 1,0 (ou 100% ou 20/20) e que no meu caso estava com índice 0,7.

Em seguida fez teste da minha acuidade visual, e para surpresa nossa, mais dele do que a minha, constatou que a minha acuidade visual atual era 1,0 (ou 100% ou 20/20).  Ele disse que tinha que refazer o teste, e ao refazê-lo, deu novamente índice 1,0.  Ele disse que nunca havia visto acontecer isso, e a conclusão dele era que o médico anterior tinha cometido erro de anotação.  Fiquei em dúvida.

Depois disso foi a vez da minha esposa.   Ela também já tinha catarata, só que estava em situação melhor que a minha.   Ao fazer o teste agora, o índice dela deu pior do que o índice medido anteriormente.    

Assim concluí que as anotações que o médico anterior tinha feito, provavelmente, não estavam erradas, e que a melhora na minha acuidade visual provavelmente se deve a prática de Tai Chi Chuan.

 

08/11/2015   Kinjiro Sekiguchi

 

E-Mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Ver outros depoimentos:

 

http://www.centrotaoista.com.br/depoimentos-acupuntura

 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Prof. Tsai

Gostaria de compartilhar com os colegas da aula de Tai Chi sobre o poder do Tai Chi para resolver um problema de saúde, que tive na semana passada.

No domingo passado, no final da tarde, senti um cansaço incomum nos últimos tempos.  Não sei dizer exatamente por quê tive esse cansaço.  Talvez seja devido a mudança brusca de temperatura, esfriou muito.
Na 2a. feira de manhã ao acordar, percebi uma sensação estranha no peito, e um mal-estar característico, que há muito tempo não sentia: batida cardíaca com extra-sístole.

Fazendo aqui, um pequeno parênteses: há muito tempo atrás, no início da minha prática de Tai Chi, eu tinha esse problema de extra-sistole, que pode ser vista no eletrocardiograma, como uma falha no sinal de pulsação cardíaca, e a sensação percebida é exatamente essa: o coração pulsa num certo ritmo, e na hora que espera a batida, ela falha, não bate. É uma sensação desagradável.  Lembro-me que depois de cerca de meio ano de prática de Tai Chi notei que aquela sensação de extra-sistole tinha sumido. Numa consulta, a seguir, com o meu cardiologista, ao fazer eletrocardiograma foi constatado que não havia mais sinal de extra-sistole.  Lembro que o cardiologista comentou que não era muito comum  acontecer isso. Na época achei que poderia ser graças a prática de Tai Chi.

Voltando ao ocorrido na semana passada, ao constatar extra-sistole, não sabia bem o que fazer, sabia que caso fosse a pronto socorro, me entupiria de remédio. Fui medir a pressão arterial, e constatei que o aparelho ficava maluco, escutava claramente a falha da pulsação cardíaca, e no final não conseguia medir a pulsação, indicando “Erro”.  Então lembrei-me que talvez pudesse resolver com Tai Chi. Dito e feito: após cerca de quarenta minutos de Tai Chi senti um bem estar e não mais sentia o extra-sistole. Fui verificar com o aparelho de pressão, e desta vez tanto a pressão como o batimento cardíaco estava firme e estável, indicando que estava normalizado. Fiquei muito feliz com isso.

Na 6a. feira de manhã, após uma semana muito difícil por excesso de trabalho, repetiu o problema do extra-sidtole, mas consegui resolver da mesma maneira, com Tai Chi.

Porisso acho que vale a pena se dedicar à aprendizagem e prática de Tai Chi.
E aqui gostaria de manifestar mais uma vez o meu mais profundo sentimento de gratidão ao Professor Tsai por transmitir-nos essa preciosidade que é o ensinamento de Tai Chi e meditação taoista.

04/06/2014  Kinjiro Sekiguchi

E-Mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Ver outros depoimentos:

http://www.centrotaoista.com.br/depoimentos-acupuntura

 


 

Primeiramente, gostaria de manifestar meu profundo sentimento de gratidão ao Prof. Tsai por me ter transmitido conhecimentos muito úteis e preciosos para a minha vida.

Treino Taichi Chuan há 6 anos com o Prof. Tsai, e obtive muitos benefícios no que se refere à saúde. Aprendi também muitas coisas no que se refere à prática de Taichi, e os cuidados a tomar.

Ao longo dos anos de treinamento comecei a sentir benefício muito grande da prática de Taichi. Treinava diariamente, e fazia meditação duas vezes por dia, na época. Foi a época em que coincidiu com o crescimento muito grande da demanda do serviço que nós fazíamos (eu e a Natália, minha esposa). Como sentia muito bem, trabalhava muito. Acordava muito cedo e dormia muito tarde, lá pelas 02:00 horas, 03:00 horas de madrugada. Como no dia seguinte de manhã acordava bem disposto, repetia a dose. Continuei nesse ritmo por muito tempo, até que a coisa explodiu: numa manhã acordei com dor no peito, muita falta de ar e sentindo muito mal, e fui parar no INCOR. Lá o médico diagnosticou como suspeita de enfarte. Fiz cateterismo, e tive que ficar internado durante 2 semanas. Felizmente não enfartei, foi só um susto. Lembro que, na época, durante a internação, cheguei a praticar Taichi no quarto do INCOR, o que me trazia bem estar e certo conforto.

Tirei algumas lições desse episódio: tomar cuidado com o balanço energético. Provavelmente eu estava gastando muito mais energia do que podia, diariamente. A coisa que achei mais preocupante na época, é que, não percebi isso até a coisa explodir.

Eu senti como se tivesse zerado a minha energia com esse episódio. Antes conseguia fazer boa meditação com certa facilidade, mas depois do ocorrido passei a ter muita dificuldade para fazer meditação de qualidade.

Voltei a treinar Taichi com mais dedicação e com mais consciência, procurando fazer treino de Taichi de qualidade, que acho que é o ponto mais importante.

Eu acho que ainda não cheguei no nível que estava antes, o meu objetivo inicial é chegar lá. Porém acho que consegui muitos benefícios do Taichi, tais como, sentir proximidade de um resfriado (com isso posso me prevenir antes que fique resfriado), e posso dizer que faz tanto tempo que não fico resfriado, que nem me lembro quando foi a última vez; antes havia época em que, com certa frequência, acordava sentindo muito mal, com pressão alta, ansiedade, etc., e ia parar no Pronto Socorro do INCOR, e atualmente posso dizer que, faz bom tempo que isso não ocorre; antes tinha extra-sistole no batimento cardíaco, atualmente isso sumiu; já tive problemas com altitude nas excursões, e ultimamente não tenho tido mais. A última coisa que percebi, é que, parece que adquiri certa sensibilidade para sentir locais com boa energia, como em Wudan Mountain, onde tive boa sensação, inclusive senti facilidade em subir a escadaria para ir ao templo que ficava no topo da montanha.

Hoje já incorporei a prática de Taichi no meu cotidiano, e estou certo de que foi uma das coisas mais importantes que ocorreu na minha vida.

Um grande abraço,

                                                                                                                                                      Kinjiro